Select Page
E a corda rebentou…
MSD Portugal
7. Agosto 2022

Num museu nos Alpes pode ver-se uma corda de sisal que se partiu; está exposta como memorial da trágica morte de quatro alpinistas que desciam o Monte Cervino, depois de o terem escalado em 14 de julho de 1865. Um deles calçava sapatos velhos e não tinha experiência. Quando caiu, arrastou os companheiros para o precipício. A corda de segurança rebentou no momento crucial.

A nossa vida assemelha-se muitas vezes a uma subida. Quantas situações desconhecidas, falta de experiência, perigos e precipícios medonhos!

Ninguém escapa ao risco, nem os profissionais. A nossa vida é frágil e nunca nos oferece uma segurança absoluta.  Aí surge a questão do sentido da existência de Deus…

Feliz aquele que conhece o seu Criador e Salvador! Vale a pena procurá-lo quando tudo corre bem. Ele é absolutamente fiável. O seu amor não tem limites. É uma corda de segurança que nunca  vai  rebentar.

Texto da semana: 2 Samuel 22.31-34

Amável, claro….

Por vezes é difícil dizer a verdade e amar ao mesmo tempo, porque podem tomar-nos pelo que não somos. Viver no amor e...

Uma procura incessante

Naquele dia saí calmamente do comboio. O sol acariciava-me o rosto e eu estava feliz por recomeçar a trabalhar. Depois...

Vergonha e dignidade

«Devias ter vergonha!» A mãe estava constantemente a dizer-lhe isto. Ele caiu nas malhas da droga e mais tarde na...

Uma colheita tardia

Sara, uma menina de dez anos, mostrou-se entusiasmada por participar no concurso do girassol mais alto. Colocou...

E a corda rebentou…

Num museu nos Alpes pode ver-se uma corda de sisal que se partiu; está exposta como memorial da trágica morte de...

Sacrifícios porquê?

Muitas vezes o ser humano está pronto a fazer sacrifícios para obter alguma coisa ou ganhar um favor. Consagramos...

Ser realmente livre

Qual é o signiificado da palavra «liberdade»? Podermos fazer ou não aquilo que nos agrada? Retirarmo-nos quando nos...