Select Page
Quem é Jesus?

Quem é Jesus?

Dizem que ele foi um dos maiores homens da História; outros afirmam que ele foi um profeta, outros acrescentam que ele viveu de forma absolutamente exemplar, e outros proclamam que ele é o filho de Deus. E para si, quem é Jesus? Certo dia, Jesus caminhava com os seus amigos e fez-lhes essa mesma pergunta, porque queria saber se os seus amigos o conheciam. 

É fácil conhecer o nome ou saber coisas acerca de uma pessoa, mas Jesus deseja que o conheça de uma maneira mais profunda. Qualquer que seja a sua opinião sobre ele, Jesus deseja que aprenda a conhecê-lo. Talvez se contente de ouvir os outros falarem de Jesus; mas também pode decidir falar com ele diretamente, expor-lhe as suas dúvidas, escutar o coração de Jesus a exprimir-se. Ele está sempre disponível! 

Texto da semana: Mateus 16.13 a 17 

Haverá esperança?

Haverá esperança?

Os romanos mataram a esperança do povo no Jesus de 33 anos que curou os doentes. Porque o mataram sem razão e sem escrúpulos? Dois homens no caminho para Emaús estavam a discutir sobre o assunto. A eles juntou-se um estranho que continuava a fazer-lhes perguntas. Ele parecia não saber nada sobre os trágicos acontecimentos dos últimos dias. No entanto, explicou-lhes que tudo tinha de acontecer tal como as Escrituras prediziam. A discussão foi tão intensa que convidaram o homem para jantar. Quando o “estranho” orou com acção de graças e partiu o pão, reconheceram-no como o Jesus ressuscitado. Nesse preciso momento ele desapareceu! “Não arderam os nossos corações no peito enquanto ele nos falava na estrada e nos explicava as Escrituras”, diziam-no um ao outro.

Pouco depois, Jesus encontrou-se com os outros dez discípulos que se tinham trancado dentro de casa. Mostrou as suas mãos e pés espetados nas unhas aos homens assustados e comeu com eles! Pacientemente explicou-lhes da Palavra de Deus que ele era o Salvador prometido. Jesus, a esperança, era real e tangível. Ele estava mesmo no meio deles. Ele está vivo, ele está presente e podes experimentá-lo, ainda hoje.

Tal como os discípulos ainda tinham muito a aprender, nós também temos. Podemos conhecê-lo através da Bíblia e, quando acreditamos nele, podemos experimentá-lo pessoalmente. Podemos falar com ele e experimentar como ele actua nas nossas vidas. Jesus oferece-nos este caminho de fé e confiança. Embora ele pudesse ser visto fisicamente na altura, muitos também não acreditavam nele. Portanto, não importa se o vemos ou não. A fé significa esperar, sem ver ainda. Temos o privilégio de poder crescer numa relação verdadeira e profunda com ele.

Queres uma relação pessoal e cheia de esperança com Jesus do teu lado?

“Olhem as minhas mãos; olhem para os meus pés! Estão a ver que sou eu mesmo. Toquem-me e verifiquem que não sou nenhum fantasma. Porque os fantasmas não têm carne nem ossos, como veem que eu tenho!” 

Depois de lhe dizer isto, mostrou-lhes as mãos e os pés.

Palavras de Jesus em Lucas 24:39-40

Texto bíblico para aprofundar: Lucas 24:13-49

A Páscoa traz paz!

A Páscoa traz paz!

Originalmente a ressurreição de Jesus não são coelhinhos de Páscoa e decorações coloridas; a terrível traição e a crucificação brutal ainda estariam a angustiar os seus discípulos. 

Quando Jesus lhes apareceu de repente, ainda estavam dominados pelo medo e por uma incredulidade desesperada. Com um «shalom» ele rasgou aquela atmosfera pesada; não somente lhes desejou: «A paz seja convosco» Jesus incarnava e oferecia-lhes essa paz. 

Ele sabia que simples palavras não poderiam dissipar o medo; então mostrou-lhes as marcas dos pregos nas suas mãos e nos seus pés. Isso é que os convenceu. 

A força que ressuscitou Jesus traz-nos uma paz que ultrapassa a nossa razão e permite-nos viver uma vida nova. Aqueles que passaram pessoalmente por esta experiência não se escondem; desejam viver e contá-la a toda a gente. 

Texto da semana: 1 Coríntios 15.12 a 20 

Ele está realmente vivo?

Ele está realmente vivo?

Um soldado furou um dos lados de Jesus com a sua lança para se certificar que Jesus estava morto. Sangue e água fluíam, confirmando a morte. Um fariseu, que acreditava em Jesus, recebeu permissão de Pilatos para levar o corpo para um túmulo onde ainda ninguém tinha sido enterrado. Depois colocaram uma grande pedra em frente do túmulo, e a sua entrada foi selada e guardada por soldados.

Entre os seguidores de Jesus havia uma tristeza profunda, muito medo, e pânico. Uma delas, Maria Madalena, foi ao túmulo de manhã cedo e viu que a pedra tinha sido rolada. Ela pensou que talvez alguém tivesse roubado o corpo. De repente, Jesus apresentou-se diante dela e falou com ela na sua tristeza. Completamente mudada, ela correu para os discípulos: “Jesus ressuscitou, como ele disse.” Imediatamente Pedro e João correram para o túmulo e tudo estava como Maria lhes tinha dito. Sentiram uma mistura de alegria, esperança e dúvida, até que Jesus apareceu e falou com eles. Tomé não estava com eles, e porque duvidava, disse: “Só acreditarei se conseguir meter os dedos nas suas feridas”. Mais uma vez Jesus apareceu entre eles e convidou Tomé a tocá-lo, e ele creu.

Numa outra ocasião, foi ter com os seus discípulos quando eles estavam a pescar. Ele já tinha pescado o peixe e preparado a fogueira. Comeu com eles e demonstrou-lhes esta verdade: “Eu estou realmente vivo!” A ressurreição é a prova definitiva de que Jesus é o Filho de Deus prometido! Ele foi em tudo fiel à sua missão e obediente ao seu Pai.

É por isso que Jesus é o único caminho para a vida eterna. Quem confia nele pode estar seguro da sua salvação e de ter uma parte no Reino de Deus. Jesus é o Rei da Vida. Primeiro veio ao mundo como Servo e Salvador, e no final regressará como Rei e Juiz.

“Porque procuram no túmulo quem afinal está vivo? Ele não está aqui, ressuscitou! 

 Lucas 24:5b-6a

Se tiveres alguma dúvida podes entrar em contacto connosco.

Texto bíblico para aprofundar: Mateus 28:1-15 e 1 Coríntios 15:1-58.

O Filho de Deus

O Filho de Deus

“Se és realmente o Filho de Deus, porque não desces da cruz”, escarneciam eles. O mal parecia triunfar naquele momento. A resposta de um Jesus dolorido foi: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem”. Um homem que foi crucificado ao lado de Jesus pediu-lhe: “Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu Reino.” Jesus respondeu-lhe: “Digo-te a verdade, hoje estarás comigo no paraíso”. Jesus disse ao seu discípulo João: “Cuida da minha mãe.”

Tu te preocuparias com os outros se estivesses com dores excruciantes e às portas da morte? Como poderia Jesus fazer isso?

As suas últimas palavras, “Está consumado!”, mostram o seu amor pelo Pai e obediência à sua missão. O seu sangue foi o preço para a reconciliação da humanidade com Deus. O intenso grito da morte de Jesus no meio da escuridão fez-se eco no Domingo de Páscoa! A luz do mundo continua a brilhar e a esperança de vida destruiu o poder da morte.

Quando a terra tremeu e o véu do Santo dos Santos no templo foi rasgado de cima para baixo, o Filho de Deus restaurou o acesso a Deus para todos nós. Todos aqueles que confiam em Jesus, o “cordeiro sacrificial”, serão perdoados. O amor de Deus vem até nós através de Jesus, para que possamos reconciliar-nos!

O soldado romano que testemunhou tudo isto disse: “Verdadeiramente este é o Filho de Deus!” Também hoje, tal como naquele dia, podes correr o risco de seres considerado antiquado se confiares em Cristo, ou simplesmente incrédulo.

Acreditas na declaração deste soldado romano?

Jesus dizia: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem!”

Lucas 23:34a

Texto bíblico para aprofundar: Mateus 27:45-54